Eu Acredito em Cosméticos

segunda-feira, maio 16, 2016

Comente abaixo

  1. Ficou linda, Carla, remoçou 10 anos! Aproveite essa fase de redescoberta. Que bom, tenho visto tantas mulheres se libertarem do jugo da chapinha/escova/alisantes! Claro, somos livres para fazer o que quiser com nossos cabelos, mas aceitar e ver a beleza natural deles não tem preço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diana,
      Sim, é muito bom poder ver que além de tudo a internet tá ajudando muitas de nós a se libertarem e se assumirem da forma que quiserem!
      Muito obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  2. Carla,leio seu blog há muitooooo tempo e nunca comentei, mas sempre adorei o jeito que você escreve :) Sempre leve, engraçado e informativo. Adoro suas resenhas, sempre tão bem detalhadas. Mas esse foi, sem dúvida, seu melhor post. E "apenas" contando do seu relacionamento com o seu cabelo,e como isso pode se relacionar com as fases da vida de uma mulher e ainda ser muito mais que um cabelo...mesmo não deixando de ser um cabelo. Você está linda com cabelo curtinho e, quem sabe um dia, eu tenha a mesma coragem, pois, mesmo tendo cabelos lisos,nunca gosto de deixa-los soltos. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, linda (esqueceu de colocar seu nome)!
      Muito obrigada pelas palavras, por me deixar saber que lê o blog e nem que acha cansativo as resenhas detalhadas!
      E obrigada também por comentar agora, neste post, em especial!
      Um beijo grande!

      Excluir
  3. Oi Carla,
    Adorei o novo visual, admiro a coragem (eu não tenho) e alegria por cortar os cabelos tão curtos. Praticidade definitivamente é a palavra!
    Já tive os cabelos assim tão curtos também, durante a infância e início da adolescência, mas desde que comecei a deixá-los crescer um pouco mais não quis mais saber de curtinhos. Acho que enjoei. Assim como alisar: tive fases que queria muito, mas há anos já nem penso mais nisso.
    Há anos vario meus cabelos entre o médio e o longo, sempre naturalmente cacheados, e não abro mão disso. Adoro! Dá um trabalhinho, é verdade, mas compensa.
    Sabe, acho que depois que passa aquela fase louca e insegura da adolescência, onde a gente quer ser "igual", a gente se liberta e se relaciona melhor com a nossa aparência, nossos cabelos, nossa vida.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Patrícia!
      Seus cabelos estão lindos, dá pra ver nesta foto do perfil!
      Então o seu trabalho compensa, viu?
      Um dia quem sabe também chego lá... Só vou curtir o momento já aproveitando que está curto, porque talvez, depois que deixar crescer, não sei se cortarei tão cedo.
      Ainda que a adolescência mesmo passa e a liberdade de mandar o dane-se para a opinião dos outros chega!
      Obrigada pelo comentário carinhoso!
      Beijos!

      Excluir
  4. Carla, voce tem o cabelo igual da minha irma mais velha, acho lindo. E o seu visual está bem legal!!! Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Oi Carla, é a primeira vez que apareço por aqui, e logo me deparo com esse texto com um assunto que conheço tão bem. Pelo visto meu cabelo é idêntico ao seu, até a parte da frente mais crespa. Também passei por muitas fases, e atualmente voltei a usar o meu enrolado, mas não sem química.
    Eu passei por uma transição porque parei de alisar para apenas relaxar. Antes usava liso, com secador e chapinha e agora uso enrolado, secando natural, mas como é difícil manter, ando exausta.
    Eu faço relaxamento ainda hoje porque nunca me adaptei à progressiva, eu faço um mais "levinho" e no começo deu muito certo, fui cortando e meus cachos voltaram, mas eu percebo que depender de salão é mesmo um martírio.
    Nos dois últimos retoques minha cabeleireira deixou ele mais liso do que os anteriores e já não estou muito contente.
    Ainda não tive coragem de cortar, mas confesso que já penso em fazer um corte mais curto e usá-los ao natural.
    Me identifiquei muito com sua história, mas ainda estou presa nos padrões que eu mesma inventei.
    Quem sabe tomo coragem.
    Um grande abraço,
    Fabiana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabiana, que bom que alguém se identifica completamente com meu cabelo e me entende.
      Assim como te entendo.
      Não pense que foi da noite para o dia, aliás, talvez tenha deixado transparecer isto, mas da noite para o dia foi só o tal É HOJE!
      Mas vim matutando a ideia há pelo menos dois anos.
      A tal viagem para Paris, que foi no fim de 2014 eu já pensava nisto, mas só cortei o cabelo no final de agosto de 2015.
      Então, é isto, também devemos respeitar nosso tempo.
      Eu estava no ponto que até se ficasse feia de cabelo curto seria melhor que continuar no tormento da escova, porque, PARA MIM, já não dava mais.
      Outras alternativas, como relaxamento, também são bem vinda, desde que a cabeleireira não passe do ponto, né?
      No meu caso quem passou do ponto foi a progressiva que alisou... :(
      Se não fosse isto, talvez estivesse mantendo os cachos mais soltos.
      Boa sorte pra você e obrigada pelo comentário!
      Beijos!

      Excluir
  6. Eu sempre achei lindo e agora acompanhando todo seu processo interior, se encontrando...só posso aplaudir. Fora que seu sorriso está mais sorriso e você toda combina com ele. Tá maravilhosa! Curto, longo, liso ou cacheado...voce encontrou a Carla, isso é o melhor de tudo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, amiga!
      Não sei se foi o corte de cabelo, a libertação ou a idade. Talvez um conjunto disto tudo, mas prestes a fazer 40 anos, finalmente me encontrei.
      Obrigada pelo carinho! <3

      Excluir
  7. Ahasou Carla!! Ficou linda, e adorei a forma como você escreveu!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata,
      Que linda você!
      Acho que foi um dos posts mais pessoais deste blog. Muito obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  8. Ficou jovial e moderno. Ja comentei em outra oportunidade como eu gosto do jeito q vc escreve. Qnd eu crescer quero escrever como vc... rsrs

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Dos outros sobre mim

"Carla, você quer que eu leve um vinho ou um pote de creme para você?" - Jossano, nos nossos primeiros encontros em referência à minha tara por cosméticos.

"A Carla é a única mulher que conheço que consegue usar o creme após creme" - Jossano, esperando eu me arrumar.

"Disso eu não duvido!!!! Me lembro perfeitamente das tuas MALAS cheias de creme: um creme para a parte encaracolada dos cabelos, outra pra parte lisa, outra pro couro cabeludo, um creme pra área superior do canto direito dos olhos... Hahaha, let´s put on make up and loads of cream! Hahaha!" - Rose Honório, amiga, no Facebook ao descobrir que tenho um blog chamado "Eu Acredito em Cosméticos".

"É Carlinha.. O tempo passa e algumas coisas não mudam... Vc desde pequena gostou dessas coisas. Lembro de vc adorar produzir suas bonecas... Acho que vc treinava para se produzir no futuro não? Rsss!" - Jacke Gense, amiga da infância, ao me ver viciada em maquiagens.