20 de agosto de 2019

Laura Mercier Flawless Fusion Ultra-Longwear Concelear (resenha)

No ano passado recebi um release sobre o lançamento do corretivo Flawless Ultra Fusion da Laura Mercier e, ao invés de postar, porque eu não estava postando mesmo, coloquei a informação na caixa de desejos da vida real!

O motivo de tanto interesse: um corretivo de média a alta cobertura com acabamento natural - segunda pele!



Bom, a descrição do corretivo é esta mesmo:

"Um corretivo de textura leve porém com cobertura média a alta que dissimula as olheiras e imperfeições faciais. Flawless Fusion Ultra-Longwear Concealer possui acabamento natural, trazendo a sensação de uma segunda pele. Desenvolvido com a tecnologia Skin Fusion, os polímeros flexíveis se unem perfeitamente com a pele trazendo ao produto o benefício de 12 horas de uso e tornando-o a prova d’água e de suor."

Promessas que atendiam TODAS as exigências atuais da minha pele que é seca, madura e com melasmas.

Esconder os melasmas das bochechas que se unem à região abaixo dos olhos (onde a cada dia nascem mais linhas de expressão) de maneira natural não é uma tarefa fácil! Então, cada vez que surge uma promessa, lá vou eu testar!



Não era a primeira vez que eu tentava este tipo de corretivo com polímeros que tornam o produto mais flexível. O anterior tinha sido o do Marc Jacobs (que também foi o olho da cara),  mas este era cremoso demais (vem até em um potinho) e até hoje não consegui me entender com ele aplicando em regiões tão grandes do meu rosto sem ficar muito pesado!

Acabei indo, creio que entre o fim do ano passado e o início deste, a uma loja física da Sephora para experimentar as cores e ver qual seria a melhor para esconder meu melasma. Depois de muitos testes, acabei trazendo a cor 3C - de uma linha de 12 cores divididas em C- cold (frio), N - neutral (neutro) e W - warm (quente).



Não sei ao certo o meu tom de pele. Sempre achei que tinha o subtom quente (amarelado), outras vezes me dou melhor com tons neutros, mas não é a primeira vez que um corretivo que puxa para o coral, consegue neutralizar melhor o tom amarronzado do melasma sem ficar cinza.

Não entendo de colorimetria, mas já percebi que, comigo, tons corais são os melhores para meu tipo de mancha.

Mesmo com o fundo coral que esconde bem o melasma, a versão 3C do corretivo serviu de maneira bem satisfatória para cobrir as olheiras e, mesmo sem usar nenhum tipo de base, se fundia muito bem com a minha pele.

Dois pontos positivos no quesito fusão da pele: a textura do corretivo mesmo e a própria cor que se adaptou bem ao tom do meu rosto. Porque, repito, no dia a dia, eu só aplico o corretivo nos melasmas e nas olheiras, deixo o resto do rosto sem nada de maquiagem.

Detalhe do Flawless Fusion aplicado

Depois de ter virado meu corretivo queridinho por bons meses, resolvi repor o estoque dele antes de acabar (sou destas, quando gosto muito de algo, procuro ter uma embalagem nova guardada para não ficar na mão).

No mês passado, proveitando que o site da Sephora estava de aniversário, dando desconto de 15% em todos os produtos, comprei não apenas uma nova unidade da cor 3C, como resolvi arriscar e comprar a cor 2C para usar na região das olheiras!

(Na verdade iria comprar a cor 2N que é do subtom neutro, mas estava em falta, pois o meu medo era da cor mais clara ser muito rosada ao invés de coral - normal, considerando subtons frios e claros, penso eu).



E, mesmo arriscando no escuro, a cor 2C, que eu não lembrava como era, fez uma fusão perfeita com a 3C e deu aquela iluminada embaixo dos olhos como eu queria.

O que me leva a confirmar que realmente é sempre bom ter dois tons de corretivos: um da cor da pele que esconde os problemas e um ligeiramente mais claro quando você quer dar aquele efeito iluminado embaixo dos olhos.

O 2C foi um pouco mais claro, mas não claro o bastante para acinzentar a pele, quando se usa cores de base/corretivos muitos tons abaixo do seu tom de pele.

Com o combo perfeito de cores para esconder defeitos, continuei usando estes corretivos da forma que mais preciso e me satisfaz, que é sendo o ÚNICO produto de pele de toda a minha maquiagem!



Desta forma, consigo uma maquiagem cada vez mais natural que tanto me agrada e que ajuda não acumular produtos que marcam cada vez mais as linhas da minha pele de gente 40+!

Aplico o corretivo (cada cor conforme a área desejada) e espalho com os dedos e dou acabamento com um pincel para esfumar as bordas.

É importante dar batidas com os dedos, conforme descrição de uso do site da Sephora, bem como porque o calor da ponta dos dedos ajuda na fusão do produto com a pele.

Na maioria das vezes não uso pó, pele seca não precisa. Às vezes, se vou a um evento mais chique, se pretendo tirar fotos ou apenas estou com vontade, uso um pouco do Meteorites da Guerlain, que tem efeitos ópticos de disfarce e iluminação, em todas as partes do rosto livres do corretivo (usei nas fotos deste post). Não passo pó em cima do Flawless da Laura Mercier porque não sinto necessidade.

Complemento apenas com blush coral nas bochechas e maquio olhos e/ou boca conforme o humor.

Maquiagem pronta

Com ele também é possível construir camadas. Com uma cobertura média e, aplicando um pouco mais por cima, a cobertura pode chegar a total - porém devemos lembrar sempre de dar MUITAS batidas sobre a pele para ajudar na fusão e não ficar artificial.

Esta atividade na hora da aplicação realmente ajuda a formar a cobertura natural, principalmente se a camada de corretivo for mais generosa. De qualquer forma, ele é sim um corretivo fácil de espalhar, que não seca rápido sobre a pele, possibilitando dar o acabamento com calma.


Sem maquiagem | com maquiagem

E outra qualidade dele: ele não resseca e dura sobre a pele durante muitas horas (em geral, fico umas 8 horas e ele ainda está OK)!

Evolução da maquiagem ao longo das horas

Até o momento, este é, sem sombra de duvidas, o melhor corretivo para todas as minhas necessidades, com cobertura mais natural, sem ser seca e sem ser oleosa, e boa cobertura de imperfeições que já usei até agora.

A embalagem em tubo com aplicador também é bem prática e a textura dele, bem como a trabalhabilidade, é fácil para aplicação e construção de camadas. Para mim que não tenho técnicas de maquiadora e, na maioria das vezes, me maquio com pressa, estas qualidades tornam este produto realmente digno de ter sido recomprado!

Por falar em compra, o único ponto negativo é realmente o preço.

Não uso meu corretivo todos os dias, porque normalmente trabalho no sol e, nestas ocasiões, troco o corretivo por um BB cream com muita proteção solar da Latika ou Missha (escolhendo cada um de acordo com o clima: Latika que é bem seco para dias de calor e Missha, que é bem hidratante para os dias mais frios).

E, por não usar todos os dias, somente agora que ele está acabando (devo ter comprado há mais de seis meses), porém, se usasse todos os dias, a quantidade que uso, talvez o conteúdo da embalagem já tivesse acabado há algum tempo. E 169 reais não é o valor de maquiagem mais barato para nosso dia a dia.

De resto, gente, é o corretivo que não tem defeitos!

---

Aqui embaixo segue links de outros produtos que já resenhei aqui no blog e usei para cobrir meus melasmas:




15 de agosto de 2019

Rolfing® para correção de postura, eu fiz.

Oi, gente! Quanto tempo, né?

Estou de férias e vou tirar a poeira daqui contando sobre um tratamento que fiz e que mudou a minha vida e minha postura corporal de maneira fenomenal!!

Estava eu navegando pelo Instagram num domingo qualquer, e vi no feed um anúncio patrocinado de um tratamento de postura chamado Rolfing®!

O que me chamou a atenção para o assunto, que eu nunca tinha ouvido falar, foi a foto de um antes e depois de um perfil de um homem todo torto e outra do mesmo perfil realinhado.

Eu poderia muito bem ser aquele homem do antes: postura corcunda, cabeça projetada e barriga para frente.

Esta minha postura corporal sempre foi uma coisa que me incomodou demais, mas achava que não tinha jeito, senão disciplina para sempre lembrar de arrumar as costas, segurar a barriga, levantar a cabeça...

Mas, quem lembra de fazer tudo isto para sempre, quando o seu natural e "confortável" é andar e ficar com a postura errada mesmo?



(fonte imagem)

Logo em seguida entrei no site indicado no anúncio e fiquei devorando tudo sobre o assunto que parecia cada vez mais interessante.

Era encantador descobrir que existia um método de tratamento que pode reestruturar, alinhar, consertar um corpo que cresceu fora da postura correta. Em apenas dez sessões.

O que é Rolfing®?

"Rolfing® – Integração Estrutural é um método que auxilia na fluência de movimento e equilíbrio através da liberação da fáscia pelo toque. Fáscia é a estrutura em rede que permeia todos os ossos, músculos, nervos e órgãos, como se fosse uma grande teia dando unidade à estrutura corporal. Sua principal função é lubrificar os espaços internos, diminuindo a fricção entre as partes e facilitando nossos movimentos." (fonte)

Ou de leiga para leigos: é um método de medicina alternativa, criado pela cientista norte-americana Ida P. Rolf (1886-1979), PhD em Bioquímica pela Universidade de Columbia), que consiste em dez sessões, onde o tecido que reveste músculos e ossos, chamado fáscia é tratado pelo terapeuta, que vai liberando o corpo, através do toque das mãos, das tensões ocasionadas pelo tempo (má postura, stress emocional, movimentos rotineiros e errados...) que deixam nosso corpo totalmente fora da postura correta, natural e saudável.

Fáscia, segundo o Bruno Bernardes, terapeuta e proprietário do Centro Viveka, onde eu fiz o Rolfing®, me explicou de forma que eu (leiga) pudesse entender e repasso para vocês é como se fosse uma membrana bem fininha (igual aquela pele fininha quase transparente que reveste a carne do frango, sabe?). Ela se adapta para a má postura, mas pode voltar a ficar livre e deixar o nosso corpo trabalhar de maneira correta após o tratamento.

Onde eu fiz o Rolfing®?

Ainda na fase de pesquisa, naveguei muito pelo site do Centro Viveka, além de ser de linguagem clara e explicativa para leigos como eu, mostrava de maneira didática como seriam as sessões, o que esperar de cada uma, preço, forma de contrato (não há contrato, você faz e paga a primeira sessão e volta se quiser), bem livre mesmo!

O Centro Viveka, fica no Itaim Bibi, São Paulo, SP, bem próximo de uma obra que eu estava trabalhando e bem de fácil acesso para mim na época.

Agendei a primeira sessão sem compromisso (mas já acreditando que funcionava e com planejamento financeiro para ir até o fim) e fui.

Você fica de roupa íntima, ou shorts e top ou biquíni, deita em uma maca e deixa que o terapeuta faça todo o resto.

Meu tratamento de Rolfing®

O terapeuta analisa a sua história pessoal com o corpo, analisa sua postura e forma de caminhar. Antes e depois de cada sessão.

No meu caso, fotografias eram tiradas nestes momentos é já era possível ir vendo a evolução do meu corpo.

Com grandes expectativas correspondidas, já na primeira sessão eu virei fã, louca, fanática do tratamento.

Assim que ele terminou, e eu me levantei, já percebi que eu caminhava, sem nenhum esforço, como uma princesa da nobreza como eu sempre desejei.

Percebi que me sentei (sem perceber) com a coluna ereta e já olhava para frente com a cabeça reta! Sabe, como se andar olhando para baixo e sentar corcunda não tivesse sido o natural da minha vida até uma hora antes! Na primeira sessão!!!

Ali mesmo eu tive uma crise de riso incontrolável em que o Bruno falou que era normal acontecer!

Eu estava realmente satisfeita!

Já deixei as semanas seguintes com meus horários marcados, porque claro, certamente, com certeza, sem dúvidas que eu iria até o fim das dez sessões!

E assim o tempo foi indo...

Durante as dez semanas, eu só percebia melhoras e ficava cada vez mais satisfeita. Tinha virado uma discípula do Rolfing® e só queria falar sobre aquilo.

O quanto o simples fato de eu agora caminhar olhando para frente naturalmente me deixava satisfeita.

E, além da postura, fui percebendo outras melhoras significativas em minha vida e que tinham relação direta e indireta com a forma de me portar.

Resultados do Rolfing®

Durante o tratamento, e até alguns meses depois, a primeira coisa que sumiu foram minhas crises de enxaqueca. Como a minha dor de cabeça está relacionada com a tensão, daquela que enrijece pescoço e ombros e, em todas as sessões, embora cada uma seja direcionada para uma parte do corpo, o Bruno sempre terminava trabalhando novamente na cabeça e eu sempre saí de lá relaxada.

Dores nas pernas e nas costas? Cessaram!

O sono ficou melhor também, comecei a acordar realmente descansada sem parecer que tinha sido atropelada durante a noite por um caminhão.

Além, claro, da consciência corporal e das melhoras na postura mesmo, como dá para ver nas imagens de antes e depois abaixo.



Reparem no alinhamento da cabeça com o tornozelo na foto de perfil. Na foto de costas (abaixo) dá para ver a abertura das pernas que melhoram o equilíbrio e o caminhar.

Eu era uma pessoa com o tronco e pescoço projetados para a frente. A cabeça, quando eu caminhava, olhava para baixo.



Nestas fotos estou em postura de relaxamento total (como se estivesse na fila do banco, como diz o Bruno), para mostrar como sou na real mesmo!

Vejam, até a barriga aparenta ter diminuído!

Mas não parou por aí...

Outra melhora, foi no meu lado emocional. Associo com o inverso de tudo que ocorreu na minha vida e que me levou a ter uma postura introvertida e tímida (olhar para baixo, ombros curvados).

Sempre fui insegura, tive muitos traumas com minha aparência física e acredito que esta ausência de segurança foi o que fez meu corpo se formar nesta posição cabisbaixa.

Conforme minha postura ia consertando, meu peito ia abrindo, a cabeça sempre ereta, sem perceber, meu psicológico e forma de encarar a vida, parece que acompanharam os acontecimentos.

De repente me vi mais segura, me vi com coragem para afastar coisas e pessoas que me incomodavam, comecei a me sentir melhor e mais bonita. Incrível.

Ou seja, insegurança pode prejudicar a postura, mas postura alinhada, parece que trazem segurança de volta, entende?

Com a consciência corporal e auto estima melhorando, comecei a fazer Pilates e agora estou frequentando a academia (sempre tentando fazer da melhor forma possível todos os exercícios), com foco em cultivar a força muscular que ajuda a manter a postura correta - principalmente no meu caso que não tenho ainda tônus muscular na região do core (região da barriga, lombar... que é centro de força do nosso corpo, que ajuda no equilíbrio). Respeito meu corpo, procuro sempre me alongar e, ao menor sinal de tensão, exercícios para relaxar.

Procurei uma coisa, exclusivamente estética e tive tantos ganhos, como me respeitar mais como pessoa física e emocionalmente, que palavras até faltam para dizer o quanto valeu a pena!

Faz exatamente um ano que terminei o tratamento. Os benefícios perduram até hoje. Porque não é um professor de postura te ensinando como caminhar. É uma terapia que realmente conserta seu corpo de dentro para fora, deixando-o como realmente deve ser.

Lógico que com os acontecimentos do dia a dia, pode ser que um retorno de uma ou duas sessões semestrais sejam bem vindas. Eu ainda não voltei. Não senti necessidade/não tive mais tempo. Embora ensaie voltar por saudades e até para avaliar com o terapeuta se realmente eu não readquiri algum vício corporal que possa comprometer a postura.

De qualquer forma, recomento de olhos fechados. Se puder fazer, faça. Se puder fazer com o Bruno Bernardes do Centro Viveka, onde fiz, melhor ainda. É fantástico.

Os depoimentos (leiam!!) de outros pacientes corroboram tudo que eu mesma senti, tanto nos ganhos de saúde, quanto no campo emocional.

O Rolfing®, infelizmente não é aceito como terapia pelos convênios médicos, nem para reembolso. Portanto, as consultas são particulares. Mesmo sendo para muitas pessoas um investimento alto, o retorno é compensador.



3 de junho de 2019

Orgasm da Nars em todas as versões no desfile de Alexander Wang

Enquanto eu ensaio uma volta ao blog ainda este ano, achei legal compartilhar uma matéria quentinha  (dos releases que ainda recebo), relatando bastidores do desfile de Alexander Wang Collection 2020, realizado na ultima sexta-feira, 31 de maio, em NY.



Ao saber qual foi a temática da make escolhida: sportwear americano com vislumbre no futuro - segundo a maquiadora Diane Kendal -, descobri que o famoso blush Orgasm da Nars, que conquistou a mim e a um monte de apaixonadas por maquiagens há uns bons anos, rendeu frutos e hoje a marca conta com mais e mais produtos derivados da mesma cor: coral rosado com pitadas de brilhinhos dourado.

Alguns já existem e estão disponíveis no Brasil e outros tem previsao de desembarque por aqui a partir de agosto de 2019.

Diane deixou as modelos com aparência natural glow, com bochechas e lábios brilhantes, combinando diversas texturas dos produtos derivados do blush Orgasm.

Segue:

ELE: NARSskin Multi-Action Hydrating Toner (indisponível no Brasil), NARSskin Total Replenishing Eye Cream (indisponível no Brasil), NARSskin Luminous Moisture Cream (indisponível no Brasil), NARSskin Aqua Gel Oil-Free Moisturizer(indisponível no Brasil)
FACE: Natural Radiant Longwear FoundationRadiant Creamy Concealer,  Soft Matte Complete Concealer, Soft Velvet Loose Powder (indisponível no Brasil, pode ser substituído pelo Light Reflecting Setting Powder)
BOCHECHAS: Liquid Highlighter Orgasm (disponível em agosto/2019 no Brasil), Palette Endless Orgasm (disponível em agosto/2019 no Brasil), Liquid Blush Orgasm
SOBRANCELHAS: Brow Perfector
BOCA: Oil-Infused Lip Tint Orgasm (disponível em agosto no Brasil), Lip Gloss Striptease (indisponível no Brasil, pode ser substituído pelo Lip Gloss Orgasm), Velvet Lip Glide Stripped
Todos os produtos, com exceção dos indicados, estão disponíveis no novo e-commerce brasileiro da marca: www.narscosmetics.com.br, nas lojas Sephora e Sephora.com.br.


22 de agosto de 2018

Dicas de beleza que daria para uma amiga

Me deu vontade de escrever aqui algumas coisas que eu já costumo falar para minha irmã caçula (que é tipo filha), para minhas amigas mais próximas, para as colegas de trabalho no espelho do banheiro e para as pessoas que gosto em geral...

Vou fazer um compilado de dicas que gostaria de ouvir e, no fim, colocar alguns links, se por acaso eu já tiver falado de algum produto aqui.

E, se depois de tudo eu descobrir que ficaram faltando coisas que gostaria de falar, volto aqui porque terei motivos para escrever no blog!

Descubra seu tipo de pele!

Este descobrimento eu fiz de forma tardia, como contei aqui. Mas foi uma espécie de acontecimento na minha vida!

Assim que soube que minha pele era seca, apesar dos poros gigantes e aparentes do nariz me fazerem acreditar que era mista, o resultado dos cuidados de acordo com a necessidade tem sido evidentes.

O tratamento adequado, no meu caso menos agressivo e mais hidrante, garantiu um resultado quase que igual ao de uma limpeza de pele, pois os poros do nariz ficaram menos "revoltados" e as rugas mais comportadas, uma vez que a pele foi ficando menos ressecada.

Conhecer o seu tipo de pele para poder tratá-la de maneira adequada é o primeiro passo na rotina de auto cuidados e carinho consigo mesma.

Seja amiga dos óleos VEGETAIS


Se sua pele for seca como a minha, será como descobrir água no deserto! E, se for oleosa, idem!

Os óleos 100% vegetais tem muitas propriedades nutritivas, revitalizantes, antioxidantes e são não comedogênicos, ou seja, não obstruem os poros e ainda fazem uma revolução do bem na sua vida, hidratando a pele de maneira leve.

Alguns exemplos são os óleos Josie Maran, Kiehl's e Caudalie. Tem também o Óleo Noturno da Marina Smith, que estou testando (e amando) e em breve resenho por aqui.

Se você for como eu e gostar de olhar as avaliações das lojas online, verá que muitas pessoas amam e se dizem maravilhadas com eles. Mesmo as de pele oleosa!

Limpe de maneira adequada

Já fui a louca da limpeza excessiva, achava que a sensação de pele emborrachada era a melhor coisa do mundo. Me ~acabei~ no sabonete Asepxia mesmo não tendo a pele acneica.

E, caso sua pele não necessite de cuidados extremos contra acne, como até expliquei aqui no post sobre a Loção Secativa da Adcos, quanto menos você agredi-la com limpeza exagerada, menos você terá o efeito rebote.

Explico: as glândulas sebáceas da nossa pele sentem que estão sendo agredidas quando são limpas em excesso e, para compensar o que entendem como trauma, acabam produzindo mais óleo do que normalmente produziriam como forma de proteção.

Tenha uma loção secativa

Aproveitando o gancho acima, falar de algo que é necessário ter, porque não existe ser humano no mundo que, vez ou outra, não tenha uma espinhazinha inoportuna dando as caras.

Se você tiver algo secativo para usar nestas horas, a espinha some mais rápido e também tem menos predisposição para espremer, machucar e provocar uma cicatriz no rosto.

Cuidado com a depilação com cera


No post mais acessado da história deste blog, eu conto o caso da vez que tive uma queimadura como reação da combinação hidroquinona + cera depilatória.

Mas, mesmo que você não esteja usando nenhum ácido, o uso constante da cera pode provocar manchas. Uma vez que ao se depilar com este método, você acaba deixando a pele mais sensível,  então tome muito cuidado ao se expor ao sol. Capriche no protetor solar depois!

Eu, para acabar com o mal (os pelos que eu odiava ter no buço), estou fazendo a depilação a laser, mas durante muito tempo, fui adepta da depilação com linha.

Outros métodos que já utilizei, de tanto medo que fiquei da cera, foram o depilador manual tipo mola e o depilador elétrico Face Braun. Ou seja, opções também não faltam!

Não use hidroquinona

É o ácido mais poderoso, como até expliquei no outro post mais famoso daqui do blog.

Ele realmente tira as manchas, mas tira de uma maneira tão dramática, que remove junto, numa espécie de esfoliação química poderosa, a camada mais superficial da pele (durante o tratamento, claro).

A pele sensibilizada fica sujeita a novas manchas e imprópria para outros tratamentos: como a depilação com cera ou laser, por exemplo.

Além disto, muitos países já proibiram o uso do componente em seus produtos. Ou seja, tome cuidado. Eu sei que é tentador, mas eu digo por experiência própria, existem ácidos mais fracos que podem até demorar mais para mostrar resultado, mas não vão agredir a sua pele.

E, por falar nisto, se for usar ácidos clareadores, experimente passá-lo apenas nas manchas. Comecei a usar desta maneira e, além de não clarear partes do rosto que não tem necessidade, o contraste entre a pele sem manchas e a pele com melasma, diminuiu um pouco mais.

Se cuide. Quando a gente começa a se cuidar, a gente vai se apaixonando por si mesma todos os dias um pouquinho mais.

E use protetor solar todos os dias! 😉

---

Alguns posts citados no texto acima:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...