7 de outubro de 2015

Pasta d'água como protetor solar

Quem acompanha o blog já sabe, o melasma é um companheiro inseparável do meu rosto. E tenho certeza que quem também sofre deste mal concorda comigo: o protetor solar é o item número um de prioridade cosmética.

E minha vida de pessoa com melasma e engenheira civil até que esteve bem calma no quesito sol nos últimos anos. Andei fazendo obras a noite, andei fazendo obras dentro de shopping, andei trabalhando em parque de diversões coberto... maaaaas esta preocupação a menos acabou!

Em pleno verão de trezentos graus que nem começou e já está castigando, eu voltei para a obra a céu (e sol) aberto, bem do tipo "pé de barro" mesmo! E, em alguns dias da semana, saio do escritório para um encontro pessoal com os raios UVs da vida!

Mesmo não usando mais ácidos clareadores fortes (tipo hidroquinona, por exemplo) eu não posso descuidar, porque as manchas existentes escurecem ainda mais!

Protetor, protetor e protetor. A CADA DUAS HORAS!!!

Na verdade, gente, eu não aguento mais esta rotina. E outras vezes o tempo passa batido... Você tá lá na obra, entretida, e pá, ficou quatro horas sem reaplicar o protetor!

Pensando nisto, e procurando melhorar a efetividade da proteção solar diária da minha vida, resolvi experimentar um ~truque~ que as meninas de um grupo sobre melasma do Facebook utilizam: pasta d'água!


Pesquisei um pouco pelas internets da vida e me deparei com este post no Futilish e mais algumas outras literaturas que mencionam que o óxido de zinco - principal componente de pasta d'água - é um protetor solar físico muito eficaz.

Por ser físico, diferente dos protetores químicos (que reagem com a luz do sol e perdem as propriedades depois de algumas horas), o protetor físico não sofre alteração e, enquanto estiver sobre a pele, está protegendo. É como se fosse uma "roupinha".


Conhecida, inclusive, por ser a proteção dos surfista, aquela coisa branca na cara deles costuma ser pasta d'água. Ela é ótima, não perde o efeito de fotoproteção enquanto está sobre a pele mas (sempre tem um "mas"), ela fica, como acabei de mencionar: BRANCA!

E aí que, exceto se você for muito desprendida pessoalmente ou um surfista, não rola sair com a cara de mímico por aí, né?

As meninas do grupo de melasma do Face e em quem eu me inspirei em experimentar em usar a tal da pasta, costumam usá-la com um protetor solar com cor, como o Episol (falei dele aqui estes dias), por cima.

Enfim, um domingo estava à toa em casa e resolvi experimentar também.

Passei a pasta d'água, fiquei toda branca, esperei uns cinco minutinhos e passei o Episol.


Claro que fiquei com o aspecto de super mascarada, do tipo uber maquiada, mas deixei rolar... E, não é que, depois de algum tempo monitorado o aspecto daquele troço na cara, comecei a achar interessante?
  • a pele ficou mais sequinha (já tinha lido sobre as propriedades anti oleosidade, secativas e adstringentes do óxido de zinco);
  • o aspecto de base do protetor com cor foi otimizado, melhorando a cobertura do produto e deixando as manchas mais disfarçadas do que usando o Episol sozinho;
  • e, por fim, deu uma clareada na cor do Episol Pele Morena, que tende a ser um pouco mais escuro que minha pele.

Então, nos dias seguintes a este domingo, usei a mistura para ir trabalhar - inclusive em dias de escritório.

Só que não mais da forma como apliquei da primeira vez, que foi passando a pasta e o protetor em seguida. Testei misturar o produto diretamente na palma da mão antes de aplicar no rosto e "criei" o que tenho chamado de meu protetor solar deste verão de 2015!


A proporção da minha mistura tem sido cerca de cinquenta porcento de cada produto. A pasta d'água otimiza a cobertura do protetor, retira um pouco do brilho excessivo e é, acredito eu, mais durável em cima da pele. Pois percebo a presença dos produtos por mais do que as duas horas usuais do protetor sozinho.

Na foto abaixo dá para ver bem a presença do produto na pele - percebam a diferença de tonalidade das orelhas e do pescoço (uso protetor transparente e chapéu para estas áreas).

E, apesar de parecer fake para quem não gosta de base carregada, procuro me conformar e entender que é melhor assim do que estar com a pele desprotegida.

Em tempo: o brilho na foto abaixo é da luz vinda da janela capturada pela câmera (eu tinha acabado de passar o protetor). Apesar de parecer oleosa a mistura, principalmente por causa do Episol, a minha pele fica seca (quase ressecada) com o passar das horas. Lembra do efeito adstringente do óxido de zinco? Deve ser isto!


Embora a mistura pasta d'água mais protetor seja mais durável que o protetor sozinho, conforme as horas vão passando, a cobertura vai desagregando.... Não sei explicar se a base "anda" sobre a pele, ou se é porque ela craquela.... Enfim, ela deixa de ter cobertura uniforme e vão se formando pontinhos com produto e pontinhos sem produto. Não chega a ser grosseiro ou exagerado, mas olhando de perto dá para perceber. E, é claro, que onde está sem produto, está sem proteção solar (física). Nesta hora eu costumo reforçar a cobertura na pele - o que acontece normalmente perto da hora do almoço.

E, por fim, uma última impressão de quem está há duas semanas usando esta mistura: o aspecto da minha pele que é mista (no verão bem oleosa na zona T) está ficando mais sequinha, com os "poros" mais fechadinhos dia a dia.

Então, em dias de encarar o sol na obra (ou praia), vou querer, pelo menos por um bom tempo, continuar usando a pasta d'água. Porque sinto que, bem a curto prazo, que parece que eu fiz uma limpeza de pele.

As pastas d'água são facilmente encontradas em qualquer farmácia e custam menos do que 5 reais.



PS: Só lembrando que não sou uma profissional da área de farmácia ou química, então estas "pesquisas" e "conhecimentos" compartilhados são frutos de mera curiosidade por necessidade pessoal, ok?



13 comentários:

  1. Legal Carlinha! Lembrei que estes dias também vi um vídeo sobre um tratamento não convencional para o cabelo, e estou me coçando para colocá-lo em prática. Vai que dá certo, né?

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dáfni,
      Tem coisas que quando a gente vê pensa "por que não pensei nisto antes"?
      Vai que dá?
      Beijos!

      Excluir
    2. Olá, sem que esta postagem é antiga, mas só vi agora. Você que tem melasma deveria entrar nos grupos de auto-hemoterapia e procurar se informar mais à respeito desse tratamento. Todos os dias temos relatos de cura pra esse problema. Eu pessoalmente não tenho,mas faço uso desse tratamento para outros fim e estou encantada.
      Estimo melhoras, abraços!!

      Excluir
    3. Qual é o grupo ?

      Excluir
    4. https://www.facebook.com/AutoHmoterapiaGerall/

      Excluir
  2. Tenho uma pergunta, como vc comprova a efetividade da Pasta D'água, como Fator de Proteção, usando-a junto com um protetor solar (Episol)?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lilian, bom dia,

      Na verdade eu não comprovo pois tecnicamente não tenho como.
      Acredito em estudos sobre o oxido de zinco que faz a proteção física satisfatória.
      Além disto, eu sempre aplico protetor solar de maneira "não econômica", ou seja, sem espalhar bem, porque isto sim, tira a efetividade.

      Excluir
    2. gostaria de proveitar e ajudar na comprovacao, o oxido de zinco protege do uva e o de titanio do uvb, o de zinco está presente em muitlos bloqueadores e atualmente buscam tirar o efito transarente do zinco fazendo zinco micronizado ou nanoparticula, atalemnte o produto com maior protecao de UVA é o zcote presente no heliocare e o tinosorb é o seguno presente no skinceuticals. pode procuar por tinosorb zcote heliocare skinceuticals que vai chegar nestas conclusões.

      Excluir
  3. Carlinha, vou tentar. Mas vai uma dica, o MINESOL MOUSSE com cor é mais seco q o EPISOL. Tente usar ele c a pasta d'água. Eu tentarei amanhã e te falo como ficou pois tenho os dois aqui em casa.

    ResponderExcluir
  4. Ó óxido de zinco é um dos componentes principais dos protetores solares, por isso ele serve como um bloqueador só não se sabe o tempo em que precisa ser retocado mas os surfistas usam muito porque o sol da praia é de torrar tudo! e se eles usam é por que deve ser bom e o entra e sai da aguá em que eles enfrentam e mesmo assim o produto não sai fácil.assim o torna mais eficiente do que certos tipos de protetores solares que existem no mercado.

    ResponderExcluir
  5. Meninas, super funciona SIM, óxido de zinco ou seja, aquela pasta d'água mega ultra baratinha na farmácia tem sua eficácia 100% aprovada sim, eles só não divulgam porque com certeza é melhor comprar o protetor mil vezes mais caro né!
    Eu uso há anos, sou surfista todo mundo já me conhece pela cara pálida ao chegar na praia, na padaria, no pedágio e ser olhada com extra terrestre kkkk (nem ligo) mais despois de ter começado a ficar com aspecto "enferrujado" pelas sardas e melasmas eis que eu descobri lá fora que o TRUQUE era passar seu protetor bafônico com proteção nas alturas, deixá-lo secar na pele e por cima dele aplicar uma camada generosa de óxido de zinco, pronto acabaram meus problemas e manchas!!!!
    As que vc já adquiriu pode também clarear e até eliminá-las com uma receitinha caseira feita uma vez por semana:
    1 colher rasa de pó de argila verde
    1 colher rasa de pó de dolamita
    1 colher rasa de bicarbonato
    1 colher rasa de óleo de coco
    * faz a papinha e aplica protegendo os olhos, 20 mitutos e retira.
    Com isso todas as células mortas vão se descamando e clareando a cutis.
    Receitinha básica e simples da minha dermato.
    Ahhh... e quem tem dificuldade para retirar a tal da pasta d'água do rosto, shampoo líquido neutro Jonhson & Jonhson debaixo do chuveiro, não fica absolutamente NADA na pele!
    O importante é se proteger do sol.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas então só usando a pasta d agua apareceu melasma em ti?

      Excluir
  6. Arrasou! Excelente explicacao e dicas. Obrigada.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...