15 de agosto de 2019

Rolfing® para correção de postura, eu fiz.

Oi, gente! Quanto tempo, né?

Estou de férias e vou tirar a poeira daqui contando sobre um tratamento que fiz e que mudou a minha vida e minha postura corporal de maneira fenomenal!!

Estava eu navegando pelo Instagram num domingo qualquer, e vi no feed um anúncio patrocinado de um tratamento de postura chamado Rolfing®!

O que me chamou a atenção para o assunto, que eu nunca tinha ouvido falar, foi a foto de um antes e depois de um perfil de um homem todo torto e outra do mesmo perfil realinhado.

Eu poderia muito bem ser aquele homem do antes: postura corcunda, cabeça projetada e barriga para frente.

Esta minha postura corporal sempre foi uma coisa que me incomodou demais, mas achava que não tinha jeito, senão disciplina para sempre lembrar de arrumar as costas, segurar a barriga, levantar a cabeça...

Mas, quem lembra de fazer tudo isto para sempre, quando o seu natural e "confortável" é andar e ficar com a postura errada mesmo?



(fonte imagem)

Logo em seguida entrei no site indicado no anúncio e fiquei devorando tudo sobre o assunto que parecia cada vez mais interessante.

Era encantador descobrir que existia um método de tratamento que pode reestruturar, alinhar, consertar um corpo que cresceu fora da postura correta. Em apenas dez sessões.

O que é Rolfing®?

"Rolfing® – Integração Estrutural é um método que auxilia na fluência de movimento e equilíbrio através da liberação da fáscia pelo toque. Fáscia é a estrutura em rede que permeia todos os ossos, músculos, nervos e órgãos, como se fosse uma grande teia dando unidade à estrutura corporal. Sua principal função é lubrificar os espaços internos, diminuindo a fricção entre as partes e facilitando nossos movimentos." (fonte)

Ou de leiga para leigos: é um método de medicina alternativa, criado pela cientista norte-americana Ida P. Rolf (1886-1979), PhD em Bioquímica pela Universidade de Columbia), que consiste em dez sessões, onde o tecido que reveste músculos e ossos, chamado fáscia é tratado pelo terapeuta, que vai liberando o corpo, através do toque das mãos, das tensões ocasionadas pelo tempo (má postura, stress emocional, movimentos rotineiros e errados...) que deixam nosso corpo totalmente fora da postura correta, natural e saudável.

Fáscia, segundo o Bruno Bernardes, terapeuta e proprietário do Centro Viveka, onde eu fiz o Rolfing®, me explicou de forma que eu (leiga) pudesse entender e repasso para vocês é como se fosse uma membrana bem fininha (igual aquela pele fininha quase transparente que reveste a carne do frango, sabe?). Ela se adapta para a má postura, mas pode voltar a ficar livre e deixar o nosso corpo trabalhar de maneira correta após o tratamento.

Onde eu fiz o Rolfing®?

Ainda na fase de pesquisa, naveguei muito pelo site do Centro Viveka, além de ser de linguagem clara e explicativa para leigos como eu, mostrava de maneira didática como seriam as sessões, o que esperar de cada uma, preço, forma de contrato (não há contrato, você faz e paga a primeira sessão e volta se quiser), bem livre mesmo!

O Centro Viveka, fica no Itaim Bibi, São Paulo, SP, bem próximo de uma obra que eu estava trabalhando e bem de fácil acesso para mim na época.

Agendei a primeira sessão sem compromisso (mas já acreditando que funcionava e com planejamento financeiro para ir até o fim) e fui.

Você fica de roupa íntima, ou shorts e top ou biquíni, deita em uma maca e deixa que o terapeuta faça todo o resto.

Meu tratamento de Rolfing®

O terapeuta analisa a sua história pessoal com o corpo, analisa sua postura e forma de caminhar. Antes e depois de cada sessão.

No meu caso, fotografias eram tiradas nestes momentos é já era possível ir vendo a evolução do meu corpo.

Com grandes expectativas correspondidas, já na primeira sessão eu virei fã, louca, fanática do tratamento.

Assim que ele terminou, e eu me levantei, já percebi que eu caminhava, sem nenhum esforço, como uma princesa da nobreza como eu sempre desejei.

Percebi que me sentei (sem perceber) com a coluna ereta e já olhava para frente com a cabeça reta! Sabe, como se andar olhando para baixo e sentar corcunda não tivesse sido o natural da minha vida até uma hora antes! Na primeira sessão!!!

Ali mesmo eu tive uma crise de riso incontrolável em que o Bruno falou que era normal acontecer!

Eu estava realmente satisfeita!

Já deixei as semanas seguintes com meus horários marcados, porque claro, certamente, com certeza, sem dúvidas que eu iria até o fim das dez sessões!

E assim o tempo foi indo...

Durante as dez semanas, eu só percebia melhoras e ficava cada vez mais satisfeita. Tinha virado uma discípula do Rolfing® e só queria falar sobre aquilo.

O quanto o simples fato de eu agora caminhar olhando para frente naturalmente me deixava satisfeita.

E, além da postura, fui percebendo outras melhoras significativas em minha vida e que tinham relação direta e indireta com a forma de me portar.

Resultados do Rolfing®

Durante o tratamento, e até alguns meses depois, a primeira coisa que sumiu foram minhas crises de enxaqueca. Como a minha dor de cabeça está relacionada com a tensão, daquela que enrijece pescoço e ombros e, em todas as sessões, embora cada uma seja direcionada para uma parte do corpo, o Bruno sempre terminava trabalhando novamente na cabeça e eu sempre saí de lá relaxada.

Dores nas pernas e nas costas? Cessaram!

O sono ficou melhor também, comecei a acordar realmente descansada sem parecer que tinha sido atropelada durante a noite por um caminhão.

Além, claro, da consciência corporal e das melhoras na postura mesmo, como dá para ver nas imagens de antes e depois abaixo.



Reparem no alinhamento da cabeça com o tornozelo na foto de perfil. Na foto de costas (abaixo) dá para ver a abertura das pernas que melhoram o equilíbrio e o caminhar.

Eu era uma pessoa com o tronco e pescoço projetados para a frente. A cabeça, quando eu caminhava, olhava para baixo.



Nestas fotos estou em postura de relaxamento total (como se estivesse na fila do banco, como diz o Bruno), para mostrar como sou na real mesmo!

Vejam, até a barriga aparenta ter diminuído!

Mas não parou por aí...

Outra melhora, foi no meu lado emocional. Associo com o inverso de tudo que ocorreu na minha vida e que me levou a ter uma postura introvertida e tímida (olhar para baixo, ombros curvados).

Sempre fui insegura, tive muitos traumas com minha aparência física e acredito que esta ausência de segurança foi o que fez meu corpo se formar nesta posição cabisbaixa.

Conforme minha postura ia consertando, meu peito ia abrindo, a cabeça sempre ereta, sem perceber, meu psicológico e forma de encarar a vida, parece que acompanharam os acontecimentos.

De repente me vi mais segura, me vi com coragem para afastar coisas e pessoas que me incomodavam, comecei a me sentir melhor e mais bonita. Incrível.

Ou seja, insegurança pode prejudicar a postura, mas postura alinhada, parece que trazem segurança de volta, entende?

Com a consciência corporal e auto estima melhorando, comecei a fazer Pilates e agora estou frequentando a academia (sempre tentando fazer da melhor forma possível todos os exercícios), com foco em cultivar a força muscular que ajuda a manter a postura correta - principalmente no meu caso que não tenho ainda tônus muscular na região do core (região da barriga, lombar... que é centro de força do nosso corpo, que ajuda no equilíbrio). Respeito meu corpo, procuro sempre me alongar e, ao menor sinal de tensão, exercícios para relaxar.

Procurei uma coisa, exclusivamente estética e tive tantos ganhos, como me respeitar mais como pessoa física e emocionalmente, que palavras até faltam para dizer o quanto valeu a pena!

Faz exatamente um ano que terminei o tratamento. Os benefícios perduram até hoje. Porque não é um professor de postura te ensinando como caminhar. É uma terapia que realmente conserta seu corpo de dentro para fora, deixando-o como realmente deve ser.

Lógico que com os acontecimentos do dia a dia, pode ser que um retorno de uma ou duas sessões semestrais sejam bem vindas. Eu ainda não voltei. Não senti necessidade/não tive mais tempo. Embora ensaie voltar por saudades e até para avaliar com o terapeuta se realmente eu não readquiri algum vício corporal que possa comprometer a postura.

De qualquer forma, recomento de olhos fechados. Se puder fazer, faça. Se puder fazer com o Bruno Bernardes do Centro Viveka, onde fiz, melhor ainda. É fantástico.

Os depoimentos (leiam!!) de outros pacientes corroboram tudo que eu mesma senti, tanto nos ganhos de saúde, quanto no campo emocional.

O Rolfing®, infelizmente não é aceito como terapia pelos convênios médicos, nem para reembolso. Portanto, as consultas são particulares. Mesmo sendo para muitas pessoas um investimento alto, o retorno é compensador.



2 comentários:

  1. É visível sua melhora de postura e auto estima. Super legal esse Rolfing!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oi, Feeeer!
      você lembra de como eu só falava sobre isto!
      fico feliz que as pessoas próximas puderam ver também!
      beijos!!

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...